As 4 Virtudes para uma Boa Vida segundo Lao Tzu

O Tao Te Ching é o texto básico do taoísmo, mas também influenciou o confucionismo e o budismo chinês e está entre algumas das obras mais traduzidas na literatura mundial. Este poderoso texto do Tao, do caminho ou do modo de vida, reflete a força do universo e até o próprio universo. Este texto foi escrito por Lao Tzu, na china, no século VI antes de Cristo.

Lao Tzu - Autor do Tao Te Ching
Lao Tsé, Lao Tze, Laozi ou Lao Tzu (dependendo da tradução)

Enquanto muitos tentaram dar sentido ao seu mistério, houve um homem que fez uma verdadeira imersão neste texto, literalmente vivendo sua sabedoria, e depois destilou a essência desses antigos ensinamentos de mistério para o público moderno.

Em 2006, o hoje falecido Dr. Wayne Dyer, sentiu-se inspirado a passar todo o seu 65º ano lendo, pesquisando e meditando sobre as mensagens de Lao Tzu, entrando em retiro para praticá-los e, em última análise, anotou os insights que sentiu que Lao Ttzu queria que conhecesse. O Dr. Dyer pesquisou dez traduções bem respeitadas do texto e o resultado desse ano que mudou a vida foi seu livro mais vendido. Novos Pensamentos para uma Nova Vida: Como Viver segundo a Sabedoria do Tao.

Dr. Dyer diz que as quatro virtudes cardinais de Lao Tzu representam a maneira mais segura de deixar hábitos e desculpas e se reconectar à sua natureza original. “Quanto mais sua vida estiver harmonizada com as quatro virtudes, menos você é controlado pelo ego“.

Dr. Wayne Dyer - Lao Tzu
Dr. Wayne Dyer – Lao Tzu

Tao – O Caminho

O Tao nos estimula  a entrar em contato com nossa essência. Quando você sabe quem você realmente é, descobre a paz eterna. Lao Tzu gostava de comparar diferentes partes da natureza com diferentes virtudes. Ele disse: “As melhores pessoas são como a água – que beneficia todas as coisas e não compete com elas.”

Cada parte da natureza pode nos lembrar de uma qualidade que admiramos e devemos cultivar – a força das montanhas, a resiliência das árvores, a alegria das flores.

Nós entramos na vida com uma folha em branco, um caminho espetacular à nossa frente com potenciais e escolhas ilimitados. Para navegar nossas vidas e lidar com os desafios e os presentes que a vida nos lançará, é útil ter algum tipo de bússola, para não acabarmos nas rochas ou perdidos no mar.

Para muitas pessoas, isso pode ser a religião, a moralidade ou os sistemas de crenças transmitidos pela família. E estas pessoas podem contar com uma sensação de força e direção dada por essa bússola interna.

Revelar a constância e a estabilidade em sua vida é perceber a natureza profunda do universo. Essa realização não depende de nenhuma condição externa ou transitória, mas é uma expressão da própria natureza espiritual imutável. A única maneira de alcançar o Caminho Universal é manter as virtudes integrantes da constância, estabilidade e simplicidade na vida cotidiana. “- Lao Tzu

 

As quatro virtudes cardinais, ou regras para viver a vida, podem fornecer um quadro para uma vida cheia de paz e propósito interior:

1. Reverência á vida

Esta virtude se manifesta como tendo amor incondicional e consideração positiva para todas as criaturas no universo, começando por nós mesmos. Então isso naturalmente fluirá para todos os outros.

Essa reverência é para todas as formas de vida. Está honrando todas as formas de vida. No seu núcleo tem uma compreensão espiritual inata de como o universo funciona verdadeiramente – que somos todos faíscas do único fogo. Quando vivemos com reverência por toda a vida, entregamos a nossa necessidade de controlar e dominar. Naturalmente, adentramos nossa apreciação sincera e gratidão por toda a vida. Esta primeira virtude é a chave para diminuir o ego.

Afirme isso com a maior freqüência possível, pois quando se vê de maneira amorosa, você não tem nada, exceto o amor. E quanto mais você ama os outros, menos você precisa de padrões de desculpas antigos, particularmente aqueles relacionados à culpa.” Wayne Dyer

2. Sinceridade natural

Esta virtude engloba honestidade, bondade e autenticidade. Para mim, tem um sentimento de compaixão e um amor abrangente para todos os seres. Quando somos sinceros e agimos com integridade, avançamos para a paz e a tranquilidade interior. Existe um antigo ditado que diz que “o mentiroso tem que ter uma ótima memória”, isso para não acabar se contradizendo. Por outro lado as pessoas mais íntegras e sinceras vivem sem o medo de serem “pegas” ou descobertas, sem o risco de serem vistas como desonestas. Grande parte desses quatro pilares relaciona-se ao carma, a lei de causa e efeito, e mantendo o equilíbrio e a impecabilidade. Essa virtude é honestidade, simplicidade e fidelidade, diz Wayne Dyer. Trata-se de ser fiel a si mesmo e praticar o que se fala.

De acordo com Dyer, se você achar isso um desafio, tente afirmar: “Eu não preciso mais ser insincero ou desonesto. Isto é o que eu sou, e é assim que eu me sinto “.

Tendo amor incondicional e consideração positiva para todas as criaturas do universo.

3. Gentileza

A mansidão é uma característica profundamente poderosa. Muitas vezes interpretado como fraqueza, a gentileza é sensibilidade, respeito e reverência por toda a vida. Talvez essa virtude possa ser resumida pelo Dalai Lama que muitas vezes disse: “Minha religião é muito simples, minha religião é bondade”. A mansidão é um guarda-chuva para perdão, aceitação e amor. É muito parecido com o termo yogico ahimsa, ou a não-violência. Quando desistimos de ser certos e de serem superiores, começamos a aceitar nós mesmos e outros, e tanto conflito em nossas vidas cai.

A mansidão geralmente implica que você não tem mais um forte desejo inspirado pelo ego de dominar ou controlar os outros, o que permite que você se mova em um ritmo com o universo. Você coopera com ele, bem como um surfista que se movimenta com as ondas em vez de tentar dominá-las. A mansidão significa aceitar a vida e as pessoas como elas são, ao invés de insistir em que elas sejam como você é. Enquanto você pratica viver dessa maneira, a culpa desaparece e você desfruta de um mundo pacífico.” – Wayne Dyer

Minha religião é muito simples, minha religião é bondade“.

4. Apoio

Quando nos apoiamos a nós mesmos, com palavras gentis, ações amorosas e autocuidado, apoiamos naturalmente os outros. Essa virtude é o princípio básico da humanidade. Somos naturalmente seres sociais e, no nosso núcleo, queremos estar com os outros e ajudar os outros. Muitas experiências mostram como os seres humanos são motivados pela conexão e se moverão para isso em vez de outras coisas. Quando damos aos outros, compartilhamos e apoiamos nossos semelhantes, ficamos felizes. Nossas vidas tornam-se significativas e nossos corações cheios. O apoio é sobre “servir”. Servir com coração aberto por poder ajudar os outros e beneficiar os outros, sem pensar no nosso próprio ganho. O apoio também quer dizer atenção, escuta e presença. É uma benignidade radical em ação. Esta citação do poeta, Hafiz, resume: “Mesmo depois de todo esse tempo, o sol nunca diz à terra “você me deve “.

A maior alegria vem de dar e servir, então substitua seu hábito de se concentrar exclusivamente em você e no que há para você. Quando você faz a mudança para apoiar os outros em sua vida, sem esperar nada em troca, você pensará menos sobre o que deseja e encontrará conforto e alegria no ato de dar e servir.” Wayne Dyer

Deixe essas quatro virtudes perfumar a sua vida, e note a graça e a facilidade que virão a sua maneira. Cada uma dessas virtudes traz uma maneira de ser, de sentir – leve, graciosa, fluente… Isso irá ajudá-lo a derrubar padrões destrutivos e autodestrutivos que sabotam a sua paz e felicidade interior.

“As quatro virtudes cardeais são um roteiro para a simples verdade do universo. Venerar toda a vida, viver com sinceridade natural, praticar a gentileza e estar em serviço aos outros é replicar o campo de energia do qual você se originou.”  Dr. Wayne Dyer

Comentários do Facebook

Diouglas Hoppe

Ser Humano, sem atributos extraordinários.

Ver todos

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *