Ansiedade – Entenda os sintomas e conheça algumas formar de Controlar

Clique Aqui Para Baixar o Guia com 10 dicas para Controlar a Ansiedade 

Não pode assistir agora? Veja a versão em texto abaixo:

Até certo ponto, sentir Ansiedade é algo absolutamente normal. A gente pode sentir, por exemplo, aquela preocupação antecipada por algum evento que está por vir. E esta preocupação nos impulsiona para se preparar melhor. Por exemplo: se sentimos ansiedade antes de fazer uma prova ou apresentação em público, provavelmente vamos nos preparar melhor para essa prova ou essa apresentação.

Esse grau de ansiedade é saudável e benéfico para nós.

O problema acontece quando essa sensação de ansiedade não vai embora…  não termina. Quando ficamos constantemente com essa sensação de que o pior pode acontecer, uma sensação de expectativa que não passa – uma palpitação no peito, coração acelerado, essa irritação, esse nervosismo no corpo – que a gente acaba extravasando roendo as unhas, beliscando os braços, tremendo, agitando as pernas ou com outros comportamentos.

E tem ainda esses pensamentos acelerados que sequestram a nossa mente – a famosa mente tagarela, que fica repetindo tudo de ruim que já lhe aconteceu e o que de pior ainda pode acontecer.

E esse ciclo vai crescendo até o ponto que você se preocupa com tudo – se assusta com tudo – com o telefone que toca, com a mensagem que chega, com a visita que toca a campainha, com os compromissos que você tem que cumprir, as pessoas que precisa encontrar ou os lugares em que precisa estar…

E se você já experimentou um ataque de pânico, ele é tudo isso ainda turbinado com um medo terrível de que você vai morrer

O seu coração fica muito acelerado, aquela sensação de que algo ruim vai acontecer fica enorme, você começa a suar frio, a tremer…  E vem uma vontade de sair correndo, se esconder em algum canto escuro e seguro e ficar lá até esse ataque do fim do mundo passar…   E o pior, ou melhor… é que ele passa mesmo.

E nada de mal acontece a não ser o próprio ataque de pânico.

Tudo não passava de um medo irracional…  Sem sentido….

Ele vem, causa esse pavor imenso de que algo terrivel está por acontecer e…

nada acontece.

A crise passa…  E aí passa um tempo… e de repente.. do nada … sem aviso prévio… você tem outro ataque desses…  Tudo de novo…

Eu também já sofri com esses sintomas – com Crises violentas de Ansiedade e Pânico, sei exatamente como você se sente…

E é sobre ESTE tipo de Ansiedade que vamos falar nesse vídeo – a Ansiedade que assusta, que paralisa…  Que faz a gente evitar pessoas, lugares ou circunstancias perdendo também preciosas oportunidades de vida.

Mas como isso tudo começou??  Como que isso se desenvolveu?  De onde vem a ansiedade?

A ansiedade tem sua origem em uma parte muito especializada do nosso cérebro chamada de sistema límbico – dentro dessa região do cérebro está localizada a amigdala…  Esse pequeno segmento é o responsável por reconhecer potenciais ameaças á nossa sobrevivencia e fazer a gente reagir instantaneamente – antes mesmo de perceber o que realmente está acontecendo.

Quer ver o quão rápido funciona esse sistema –   Você está tranquilo, distraído e alguém vem por traz e dá um grito – quanto tempo leva pra você reagir de alguma forma? Instantaneamente o seu coração fica acelerado e você dá um pulo, ou sai correndo, tem gente que tem o reflexo incrivel de dar um tapa certeiro na primeira pessoa que encontrar… rs…   O seu corpo faz isso tudo sozinho sem você nem pensar no que aconteceu. A gente chama isso de susto.

Quando isso acontece…

Quando a amigdala percebe que estamos em perigo, ela meio que assume o comando da nossa mente – coordena uma grande liberação de adrenalina no corpo – que é o que causa o coração acelerado, tremores, agitação…  e coordena também a liberação de uma série de outros hormônios e substancias no sangue que vão nos deixar alertas e preparados para lutar contra essa ameaça ou fugir desta ameaça. O chamado estado de luta ou fuga.

Quando esse sistema está com uma sensibilidade muito alta – uma amigdala hipersensível, hiperreativa – você vai ter essa sensação constante de ansiedade. Como se estivesse constantemente em perigo – em alerta.

E quando ela dispara do nada, antevendo um perigo eminente e muito intenso – aí você tem uma crise de pânico.

Então, podemos dizer que a Ansiedade e o pânico são causados por um tipo de mal funcionamento desta parte bem pequenininha do cérebro chamada Amigdala.

Mas e Porque a amigdala fica assim? O que acontece que ela passa a se comportar desta forma?

Existem um enorme número de pesquisas e estudos sobre o porquê da amigdala passar a se comportar dessa maneira – que vai desde fator genético até desequilíbrio químico, problemas hormonais… e por aí vai…

Eu, pessoalmente, prefiro acreditar na teoria de que qualquer função do nosso cérebro pode ser mais ou menos desenvolvida  – dependendo dos estímulos que essas regiões relacionadas recebem. Da mesma forma que para adquirir uma habilidade nova – tocar violão, por exemplo -precisamos treinar repetidamente alguns acordes, treinar o ritmo, até conseguir mover os dedos na velocidade certa e aí então tocar suas primeiras músicas.

Dentro desse raciocínio, pra desenvolver ansiedade precisamos também treinar nossa amigdala para se tornar mais alerta e mais responsiva.

E como fazemos isso? Como uma pessoa “normal” pode fazer para desenvolver a Ansiedade?

Tem alguns comportamentos que comprovadamente levam a gente a desenvolver ansiedade:

  • Dar para a mente mais informação que ela é capaz de processar.

    Quanto mais informação a nossa mente recebe, mais acelerada ela fica…  – tudo o que é captado pelos nossos 5 sentidos é informação para o nosso cérebro – então quanto mais imagens, sons e sensações recebemos mais informações estamos enviando para o nosso cérebro. Agora, imagine você quantas toneladas de informações inundamos a nossa mente com uma simples e inocente “matada de tempo” rolando a timeline do facebook – quantos vídeos, fotos, textos, sons, propagandas, emoções…  quanta informação o seu çérebro recebe em alguns minutinhos rolando a tela do celular? Isso sem falar na multi-tarefa porque estamos no face, mas ficamos pulando pro whatsapp a cada segundo, atendendo um telefonema do trabalho, preenchendo algum tipo de formulário no computador e ainda conversando com a pessoa que está ao lado…  tudo ao mesmo tempo. Nem o seu, nem o meu nem o cérebro de ninguém foi projetado para isso. Nosso cérebro consegue processar apenas um tipo de informação por vez…  mais do que isso, vamos estar sobrecarregando nossa capacidade de processar informações e acelerando os nossos pensamentos, acelerando a nossa mente. Quanto tempo vai levar pra essa mente sobrecarregada dar sinais de cansaço?

  • Alimentar a mente com informações tóxicas

    Informações que fazem a gente se sentir mal – ler tudo quanto é notícia ruim do mundo, ler todas as fofocas e intrigas dos famosos, assistir filmes violentos, falar mal dos outros, ficar ouvindo pessoas negativas – que reclamam de tudo, se queixam o tempo todo, ficam fazendo previsões de que o país vai quebrar e o mundo vai acabar… Quanto mais informações tóxicas consumimos, mais estimulada fica nossa amigdala – mais cortisol – o hormônio do stress será liberado na corrente sanguinea e isso vai nos deixar mais estressados, com tensões e dores no corpo e uma série de sintomas desagradáveis

  • Alimentar Sentimentos de inferioridade

    Sentimentos de baixa auto-confiança – não posso, não consigo, vai dar errado, não sou bom o bastante…

Esses padrões de pensamento e comportamento funcionam como um treinamento

Um treinamento constante – crossfit Mental. Sem querer estamos treinando nossa mente para ficar mais acelerada, mais negativa e mais preocupada com o futuro… preocupada com tudo de pior que pode acontecer… Preocupada com o país, com a violência, com os famosos, com o terrorismo, com o dolar, com o nosso desempenho, e com milhões de outras coisas…

E aí basta um gatilho qualquer – uma situação qualquer que o seu cérebro, que já está alerta, estressado, acelerado, hiperestimulado – qualquer mínima situação que a sua amigdala interprete como perigo – e pronto… todos aqueles sintomas fortes são desencadeados e você tem uma crise de ansiedade ou um ataque de pânico.

E o que fazer para reverter essa situação?

A estratégia aqui é fazer o inverso – Se você foi capaz de treinar sua mente para ser mais Ansiosa, pode também treiná-la para ser mais calma – menos reativa. E esse treinamento, que na verdade é um conjunto de comportamentos, vão modificar físicamente e quimicamente o seu organismo – não só formando novos caminhos neurais no seu cérebro como liberando uma série de substâncias que tem efeito de neutralizar o stress e ansiedade no seu organismo…

Estou disponibilizando aqui embaixo, totalmente grátis, um guia prático com 10 passos, bem organizados e bem explicadinhos para você conseguir enfrentar a ansiedade e a síndrome do pânico nessa linha aí que citei no vídeo. São passos muito simples de serem postos em prática e que certamente vão fazer uma diferença enorme no seu dia a dia.

Basta clicar no link que está aqui embaixo na descrição.

E aqui ao lado está o link para outro video aqui do canal com uma técnica extremamente eficaz que usa a respiração para acalmar uma crise de ansiedade na hora em que ela está acontecendo. Vale muito à pena conferir.

Se você gostou desse video, clica em curtir, se inscreva no nosso canal e compartilhe com quem você conhece que pode se beneficiar também dessas informações.

Um forte Abraço e até o próximo video.

 

Clique Aqui Para Baixar o Guia com 10 dicas para Controlar a Ansiedade 

 

Algumas Pesquisas e Artigos científicos que dão suporte á este video:

pdfs.semanticscholar.org/990b/9507235e045bcefe808c873c37758fe42e08.pdf

www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3181631/

scholarcommons.scu.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1002&context=engl_176

opinionator.blogs.nytimes.com/2012/01/22/anatomy-of-fear/

www.theguardian.com/media/2013/apr/12/news-is-bad-rolf-dobelli


 

Comentários do Facebook

Diouglas Hoppe

Ser Humano, sem atributos extraordinários.

Ver todos

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *